Blog do InfoAmazonia

Arquivo : setembro 2014

Qualidade da água na Amazônia é pior que no resto do país
Comentários Comente

InfoAmazonia

A equipe do InfoAmazônia lançou hoje o aplicativo web “Visaguas – Água e Doenças na Amazônia”. Na ferramenta, o usuário tem acesso a mapas e rankings sobre a situação do acesso à rede geral de água e esgotamento sanitário junto à compilação de dados sobre internações por doenças relacionadas à má qualidade da água.

Visaguas

Utilizamos os dados do último Censo do IBGE (2010) para visualizar o número de domicílios com acesso à água e esgoto. O quadro que surgiu foi que o acesso ao saneamento nos 771 munícipios da região está entre as piores do país. Na Amazônia Legal, 60% dos munícipios são atendidos por rede geral de água. A média nacional é de 82,7%.

Para gerar os mapas sobre doenças, utilizamos os dados organizados pela Fiocruz com base no DataSUS, referentes ao número de internações em 2012. Assim como no caso do saneamento, os números nesta região estão entre os piores do país.

Por exemplo, o Maranhão é o estado com maior número de internações por amebíase: 32 a cada 100 mil habitantes. Olhando os piores municípios, as estatísticas passam de 1000 internações para cada 100 mil/hab.

Maranhao visaguas

O APP “Visaguas” faz parte do projeto Rede InfoAmazonia, que pretende instalar sensores de sensores de qualidade de água em cidades e comunidades da região.

Participe: o InfoAmazonia está testando uma ferramenta  para que pessoas na Amazônia enviem relatos sobre contaminação e uso indevido d´água. Veja aqui como participar: http://agua.infoamazonia.org/collaborate/


Governo confirma tendência de alta de desmatamento
Comentários 1

Gustavo Faleiros

Animação de todos alertas de desmatamento registrados de agosto de 2013 a julho de 2014. Comparados com período anterior, dados indicam alta de 9,8%.

O Ibama e o Ministério do Meio Ambiente divulgaram ontem os dados de junho e julho do Sistema de Alertas de Desmatamento em Tempo Real (Deter). As notícias não animam.

Elas confirmam o que a ONG Imazon já havia apontado há 3 semanas: o aumento de 28% do desmatamento em 2013 parece não ser um fato isolado, é uma reversão de tendência.

Em junho, os alertas somaram 535 km² desmatados, um aumento de 155% em relação a junho de 2013. Em julho, 729 km2 foram registrados, aumento de 236% em relação ao mesmo mês do ano passado. O acumulado de agosto de 2013 a julho de 2014 mostra elevação de 9,8% na extensão dos alertas de desmatamento.

“BR-163 insustentável”

incendio-florestal

Operação Castanheira do Ibama tenta conter quadrilha de desmatadores no Pará. Foto: Divulgação

O Deter, como diz o próprio nome, é um sistema de alerta e a taxa oficial do desmatamento é divulgada apenas no fim do ano. O problema é que os satélites do Deter, para funcionarem em tempo real, são menos acurados. Por isso mesmo, a taxa consolidada feita com sensores de maior resolução pode revelar um quadro ainda pior.

O governo Dilma parece reconhecer a urgência e na semana passada deflagrou uma operação do Ibama para desarmar uma quadrilha de grileiros atuando em Novo Progresso, Pará.

Coincidência ou não, os desmatadores estavam se beneficiando do fracasso do projeto BR 163 Sustentável, a bandeira da então ministra Marina Silva, do governo Lula.

Vale a pena explorar o especial feito por Marcelo Leite e Lalo de Freitas e publicado na Folha de S. Paulo

Veja notícia geotaggeada abaixo com o local da reportagem e da operação do Ibama


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>